Resenha: Fome de Michael Grant

Não existem pais no LGAR. Nem deus, também. Só humanos tentando ficar vivos.”

Fome Michael Grant

Observação: Esse é o segundo livro de uma série e os textos abaixo contém spoilers do primeiro livro.

A sinopse: Já se passaram três meses desde que todos os menores de quinze anos ficaram presos na bolha conhecida como o LGAR. As coisas só pioraram. A comida está acabando, e as crianças cada dia mais estão a desenvolvendo habilidades sobrenaturais. Logo ocorrerá tensão entre aqueles com poderes e os sem poderes, e poderá ocorrer uma tragédia indescritível, irrompendo o caos. Normais contra os mutantes, e uma batalha com rumo sangrento.

linha blog 2

Sobre a leitura:  Acabei de ler o livro e vou confessar que tive que parar um momento para respirar. Eu li em 3 dias, o que é impressionante já que ele tem 529 páginas. Eu literalmente devorei ele.

A parte boa: Com esse livro consegui tirar a conclusão que a série Gone é mesmo um achado fantástico, esse livro é muito bom, e os próximos tem a grande possibilidade de serem tão bons quanto ou até melhores.

Fome é desgastante, com a narrativa do Michael Grant você se sente com tanta fome quanto os personagens, tão cansado e com tanto medo quanto eles. Eu tive um pouco de problema com a quantidade de descrição de situações que não me pareciam necessárias, mas nenhuma que fizesse que eu parasse o livro.

Uma das coisas que mais me impressiona é a capacidade de Michael Grant de criar vários personagens, cada um com sua personalidade e seus problemas, jogar eles no meio dos problemas comuns, e no final, não deixar nenhuma ponta solta.

 Os superpoderes nem sempre fazem da gente um super-herói – Duck”

Os personagens: Todos estão muito bons nesse livro. Mas infelizmente como o livro é bem dividido, não tem nenhum que se destaque como aconteceu no primeiro. Mas todos continuam seguindo a linha de personalidade deles perfeitamente, com algumas surpresas, tipo uma personagem se tornar assumidamente lésbica.

As melhores partes: O livro inteiro é bom, mas não tem nenhum ápice, o tempo todo tem coisas acontecendo. Mas talvez a melhor parte (sem dar spoilers) envolva crianças com fome e um enforcamento.

A parte ruim: O excesso de descrições pode deixar o livro cansativo de vez em quando, mas nada que tenha feito eu abandonar a leitura.

 Se existe um Deus, imagino se está sentado no escuro, na beira da cama dele, imaginando como conseguiu ferrar com tudo – Sam”

A conclusão: Apenas uma ótima continuação. Se você ainda não leu, leia, eu recomendo demais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s